Cabeçalho da página

HERPETOFAUNA EM UMA COMUNIDADE RURAL DO NORDESTE DO BRASIL: RELATOS SOBRE MITOS NAS DIFERENTES GERAÇÕES

Vânia Dias Santos, Thely Alves Maciel

Resumo

O conhecimento popular sobre os anfíbios e répteis está parcialmente codificado em mitos sobre as características morfofisiológicas e comportamentais desse grupo. Com o objetivo de registrar o conhecimento popular sobre mitos relacionados à herpetofauna e entender a distribuição destes entre pessoas com diferentes faixas etárias, foram aplicadas, na comunidade de Boa Esperança, no sudoeste da Bahia, 40 listas livres, distribuídas em três grupos etários, entre novembro e dezembro de 2019. A frequência de ocorrência foi utilizada para identificar a importância do mito em cada grupo. Foram listados 15 mitos, distribuídos entre: serpentes (10); anuros (3); e lagartos (2). Os idosos citaram 15 mitos, os adultos 13, e as crianças, 8. Os idosos podem ser considerados como conhecedores locais, pois foram citados pelos adultos como a fonte de informações sobre os mitos. As crianças apresentaram interpretações científicas sobre as características da herpetofauna, fato esse que sugere a influência do conhecimento proveniente do ambiente escolar, além do conhecimento popular que circula pela comunidade.


Palavras-chave

Diversidade; Répteis; Serpentes


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, R.R.N; NETO, N. A. L; SANTANA G. G.; VIEIRA,W. L. S; W. ALMEIDA O. V. Reptiles used for medicinal and magic religious purposes in Brazil. Applied Herpetology, Boston, v.6, n. 3, p. 257-274, 2009.

ALBUQUERQUE, U.P; LUCENA, R.F.P; ALENCAR, N. L. Métodos e Técnicas na pesquisa etnobiológica e etnoecológica. In: ALBUQUERQUE U. P; LUCENA, R. F. P. Métodos e técnicas para coleta de dados etnobiológicos. NUPEEA: Recife, 2010.

ARANHA, M. L. A.; MARTINS M. H. P. Filosofando: Introdução à filosofia. 6 ed. Moderna: São Paulo, 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Acidentes por animais peçonhentos. Disponível em: https://www.saude.gov.br/component/content/article/42009-acidentes-por-animais-peconhentos-serpente. Acesso em: 10 de janeiro de 2020.

BERNARDE, P. S.; TURCI, L. C. B.; MACHADO, R. A. Serpente do Alto do Juruá- Acre Amazônia Brasileira. Edufac: Acre, 2017.

COSTA-NETO, E. M. Conhecimento e usos tradicionais de Recursos Faunísticos por uma comunidade Afro-brasileira. Interciência, Santiago, v.25, n.9, p. 423-431, 2000.

DIAS, M. A. S.; LIMA, N. B.; FIGUREDO-DE-ANDRADE, C. A. Análise do conhecimento Etno-herpetológico dos Estudante no município de Salina, Minas Gerais-Brasil. Acta Biomedica Brasilensia, Cruz Alta. v.9, n.1, p. 36-45, 2018.

FERNANDES-FERREIRA, H.; CRUZ R. L.; BORGES-NOJOSA, D. M.; ALVES, R. R. N. Crenças associadas a serpentes no estado do Ceará, Nordeste do Brasil. Sitientibus Série Ciências Biológicas, Feira de Santana, v. 11, n. 2, p. 153-163, 2011.

FRAGA, R.; LIMA A.P.; PRUDENTE A. L. C.; MAGNUSSON, W. E. Guia de cobras da região de Manaus - Amazônia Central. Editora INPA: Manaus, 2013.

FITA, S. D.; COSTA- NETO, E. M. As interações entre os seres humanos e os animais: a contribuição da etnozoologia. Biotemas, Florianópolis, v. 20, n. 4, p. 99-110, 2007.

FITA, S. D.; COSTA-NETO, E. M.; SCHIAVETTI, A. ‘Offensive’ snakes: cultural beliefs and practices related to snakebites in a Brazilian rural settlement. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, Califórnia, v.6, n. 13, p. 2-13, 2010.

FURTADO, M. F. D.; CALLEFFO M. E. V. A atuação do Instituto Butantan na Amazônia no século XX. Cadernos de história da Ciência. São Paulo, v.4, n.2, p. 51-88, 2008.

DAJOZ, R. Princípios de Ecologia. 7 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

HAMMER, O; HARPER D.A.T; RYAN, P.D. Past: palaentologica software packeger for educationnd date apintonalysis. v. 2.10. Palaeontologia Electronica, v.4, n.1, p. 1-9, 2001.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. Censo demográfico Caetité. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/caetité/panaroma. Acesso em: 10 de janeiro de 2020.

LIMA, A. P. et al. Guia de sapos da reserva Adolpho Duck: Amazônia Central. Attema Design Editorial: Manaus, 2005.

MESQUITA, P. C. M. D.; Borges-Nojosa D. M.; BEZERRA, C. H. Dimorfismo sexual na “cobra-cipó” Oxybelis aeneus (Serpentes, Colubridae) no estado do Ceará, Brasil. Biotemas, Florianópolis, v. 23, n. 4, p. 65-69, 2010.

MISE, Y. F.; LIRA- DA- SILVA, R. M.; CARVALHO, F. M. Envenenamento por serpentes do gênero Bothrops no Estado da Bahia: aspectos epidemiológicos e clínicos. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 40, n. 5, p. 569-573, 2007.

MOURA, M. R. et al. O relacionamento entre pessoas e serpentes no leste de Minas Gerais, sudeste do Brasil. Biota Neotropica, Campinas, v.10, n. 4, p. 132-141, 2010.

PASSOS, D. C.; MACHADO, L. F.; LOPES, A. F.; BESERRA, B. L. R. Calangos e lagartixas: concepções sobre lagartos entre estudantes do Ensino Médio em Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciênc. Educ., Bauru, v. 21, n. 1, p. 133-148, 2015.

PAZINATO, D. M. M. Estudo etnoherpetológico: Conhecimentos populares sobre anfíbios e répteis no município de Caçapava do Sul, Rio Grande do Sul. Monografia de especialização. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria – RS, 2013.

LANA PINTO, L.C.; CRUZ, A. J. R.; PIRES, M. R. S. Incorporando o conhecimento ecológico local na Conservação dos lagartos da Serra do Ouro Branco, Minas Gerais, Brasil. Biosci. J, Uberlândia, v. 31, n. 2, p. 613-622, 2015.

POUGH, F. H.; JANIS, C. M.; HEISER, J. B. A vida dos vertebrados. 4ª ed. Atheneu: São Paulo, 2008.

PRADO, C. P. A.; UETANANARO, M.; HADADD, C. F. B. Breending activity patterns, reproductive modes, and habitat use by anurans (Amphiabia) in a seasonal envioronment in Pantanal, Brasil. Amphibia-Reptilia, Boston, v. 26, p. 317-326, 2005.

RICKLEFS, R. E. A Economia da Natureza. 5 ed. Editora Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 2003.

SALLAS, R. F.; COSTA, M. J.; FERNANDES, H. L. Influência do sistema afetivo-emocional no aprendizado: Valores culturais e mitificação dos anfíbios anuros. Revista de Ensino de Biologia, Florianópolis, v.10, n. 1, p. 87-105, 2007.

SANDRIN, M. F. N.; PUORTO, G.; NARDI, R. Serpentes acidentes ofídicos: um estudo sobre erros conceituais em livros didáticos. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 10, n. 3, p. 281–298, 2005.

SANTANA, R. H. Serpentes e educação ambiental: mediatizando saberes no quilombo de mata Cavalo. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá. 2011.

SCHWARTZ, C. A.; CASTRO, M. S.; PIRES JR, O. R. ; MACIEL, N. M. ; SCHWARTZ, E. N. F. ; SEBBEN, A. . Princípios bioativos da pele de anfíbios - panorama atual e perspectivas. In: Nascimento, L.B.; Oliveira, M. E. (Org.). Herpetologia no Brasil II. 1ed.Belo Horizonte - MG:, 2007, v. 1, p. 146-168. Disponível em: < http://sbherpetologia.org.br/index>. Acesso em: 10 de janeiro 2020.

SOUZA, R. C. G. Reproduction of the Atlantic Bushmaster (Lachesis muta rhombeta) for the first time in captivity. Bul. Chicago Herp. Soc., Illinois, v 42, n. 3, p. 41-42, 2007.

WELLS, K. D. The social behavior of anuran amphibians. Anim. Behav., Ohio, v. 25, n. 4, p. 666-693, 1977.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/ethnoscientia.v7i1.11441

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Ethnoscientia - Brazilian Journal of Ethnobiology and Ethnoecology

             

ISSN 2448-1998