Cabeçalho da página

A construção das feminilidades nos discursos das agentes penitenciárias do Instituto Penal de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil

Daniel Attianesi

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as percepções das agentes penitenciárias do Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) sobre a relação entre as ideias de feminilidade e o trabalho decorrente de suas profissões, presente em seus imaginários e suas narrativas. Busca-se aqui uma proximidade entre esses conceitos, pensando na construção da feminilidade por meio do espaço de uma “instituição total” e de um ambiente marcado pela masculinidade dos detentos. A proposta é entender o gênero feminino como um processo em construção de uma identidade tanto de si quanto percebida pelos outros. Aqui, a identidade social é entendida como algo que se forma a partir de determinada profissão e das condições demarcadas por ela. Destacamos o IPCG como foco pelo caráter excludente das diversas relações sociais dos sujeitos e pelo papel de ambiente reconhecidamente masculinizado. Recorremos aos conceitos de feminilidade performativa, de Judith Butler, de instituição total, de Erving Goffman, e de identidade profissional, de Pedro Bodê.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v11i1.6719



 © As/os autoras/es que publicam na Amazônica Revista de Antropologia (ARA) retêm os direitos autorais e morais de seu trabalho, licenciando-o sob a Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil que permite que os artigos sejam reutilizados e redistribuídos sem restrições, desde que o trabalho original seja citado corretamente.

Gerencia do Portal:

Luciléia Silva

Email: lucileia@ufpa.br

 

Creative Commons License
Amazônica - Revista de Antropologia da Universidade Federal do Pará é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil.

This is an open-access website under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Comercial License.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica.