Cabeçalho da página

Fagmentos de (micro)realidades recifenses: Deficiência como categoria mobilizadora de relações a partir de relatos da síndrome congênita do zika vírus

André Filipe Justino

Resumo

O presente artigo explora algumas das possibilidades de relações sociais que se desdobram a partir de um fenômeno recente: a epidemia de Zika de 2014 e o surto da Síndrome Congênita do Zika Vírus. Partindo de dados secundários produzidos na cidade de Recife, Pernambuco, mostro como a deficiência, enquanto um marcador social das crianças que nascem com a síndrome, mobiliza as mães e cuidadoras a estabelecer redes de solidariedade e de produção de conhecimento que são muito específicos do contexto de crise vivenciado a partir do surto.


Texto completo:

PDFV10N1


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v10i1.5858



 © As/os autoras/es que publicam na Amazônica Revista de Antropologia (ARA) retêm os direitos autorais e morais de seu trabalho, licenciando-o sob a Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil que permite que os artigos sejam reutilizados e redistribuídos sem restrições, desde que o trabalho original seja citado corretamente.

Gerencia do Portal:

Luciléia Silva

Email: lucileia@ufpa.br

 

Creative Commons License
Amazônica - Revista de Antropologia da Universidade Federal do Pará é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil.

This is an open-access website under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Comercial License.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica.