Cabeçalho da página

Contestações ritmadas. Notas sobre o simbolismo do útero presente em relatos de parto

Giovana Acácia Tempesta

Resumo

O ensaio focaliza aspectos do processo histórico de transformação da experiência de parto no Brasil presentes em relatos de parto de mulheres de camadas médias urbanas. Neste cenário, que emerge no horizonte da crescente medicalização da gestação e da luta contra a violência obstétrica, o parto humanizado, pensado como um “laboratório moral”, surge como uma experiência profunda de conexão. O campo etnográfico aponta para a configuração de novas subjetividades femininas, maternas e feministas, mediadas pela tecnologia leve manejada pelas doulas e também pelos grupos de apoio a gestantes, articuladas em um imaginário cultural contra-hegemônico, centrado na potência desestabilizadora das capacidades reprodutivas femininas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v10i1.5856



 © As/os autoras/es que publicam na Amazônica Revista de Antropologia (ARA) retêm os direitos autorais e morais de seu trabalho, licenciando-o sob a Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil que permite que os artigos sejam reutilizados e redistribuídos sem restrições, desde que o trabalho original seja citado corretamente.

Gerencia do Portal:

Luciléia Silva

Email: lucileia@ufpa.br

 

Creative Commons License
Amazônica - Revista de Antropologia da Universidade Federal do Pará é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil.

This is an open-access website under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Comercial License.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica.