Cabeçalho da página

O projeto da usina hidrelétrica Belo Monte: a autocracia energética como paradigma

Célio Bermann

Resumo

Apesar do esforço intelectual de vários cientistas que condenaram a megaobra da Hidrelétrica de Belo Monte, e do movimento social de resistência ao projeto, que reuniu as populações atingidas pelo empreendimento (povos indígenas e ribeirinhos), com apoio nacional e internacional, o governo brasileiro deu início às obras de sua construção. Este artigo contextualiza o projeto de Belo Monte como um paradigma para o processo de expansão da hidroeletricidade na região amazônica, refutando as premissas econômicas utilizadas para justificá-lo, analisando de forma crítica seus fundamentos técnicos e apontando as consequências socioambientais para as populações tradicionais da região.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v15i1.895

Flag Counter

Print ISSN: 1516-6481 – Eletrônica ISSN: 2179-7536