Cabeçalho da página

CONSTRUÇÃO DE PAISAGEM, ESPAÇO E LUGAR NA VÁRZEA DO RIO SOLIMÕES-AMAZONAS

Marcelo Souza Pereira, Antônio Carlos Witkoski

Resumo

O regime das águas do rio Solimões-Amazonas (enchente, cheia, vazante e seca) apresenta-nos paisagens que, a partir da presença humana, tornam-se espaços. Paisagem torna-se espaço a partir da dinâmica social, e pela experiência transforma-se em lugar. Homem e rio são agentes construtores deste fenômeno. As definições de “fixos” e “fluxos” são utilizadas para analisar as relações que determinam como, pelas águas e terras de trabalho da várzea, o espaço se transforma em lugar. O estudo evidencia os vários fluxos técnicos-informacionais e demais interferências sofridas pela organização produtiva local devido a “trocas” entre os lugares. Enfim, a dinâmica social, econômica e ambiental da várzea garante aos lugares e aos espaços um constante movimento, produzindo e reproduzindo o modo de vida e a organização social, espaços onde são satisfeitas as necessidades a partir da experiência do lugar.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v15i1.737

Flag Counter

Print ISSN: 1516-6481 – Eletrônica ISSN: 2179-7536