Cabeçalho da página

O PONTO PERDIDO NA TRAMA DO DESENVOLVIMENTO DA COTONICULTURA EM MATO GROSSO

Alexandre Magno de Melo FARIA

Resumo

A cotonicultura brasileira está espacialmente concentrada no estado de Mato Grosso desde a safra de 1999. A estrutura produtiva atual é dominada por grandes empreendimentos capitalistas. Contudo, entre as décadas de 1930 e 1980 a cotonicultura no atual Mato Grosso representava menos de 1% da produção nacional e era desenvolvida pelo campesinato em áreas inferiores a 30 hectares. A produtividade da terra e do trabalho estavam abaixo da média nacional e mundial neste ramo produtivo. Investimentos públicos realizados no início da década de 1980 elevaram substancialmente a produtividade da terra e do trabalho na cotonicultura camponesa, com relevantes impactos na geração de renda e na inclusão social. Contudo, o projeto não recebeu continuidade e as políticas públicas passaram a favorecer o grande capital agrário no início da década de 1990, ajustadas com a corrente neoliberal que se implantou no Brasil. O modelo atual de produção privilegia a concentração produtiva em áreas acima de 2.800 hectares, negligenciando milhares de famílias camponesas que poderiam fornecer pluma de alta qualidade aos mercados nacional e internacional e gerar desenvolvimento regional. Perdeu-se uma importante oportunidade de tecer o tecido do desenvolvimento de forma mais equitativa.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v15i1.542

Flag Counter

Print ISSN: 1516-6481 – Eletrônica ISSN: 2179-7536