Cabeçalho da página

A construção de Palmas no final da década de 80. Uma concialiação ou um rompimento dos pactos de poder da elite agrária?

Eliseu Pereira de Brito

Resumo

Esta pesquisa faz parte de uma análise sobre a formação socioespacial do estado do Tocantins, objetivando identificar pontos que respaldam a criação e consolidação de Palmas, por meio de uma leitura dos pactos da dualidade econômica brasileira. Para o autor, houve duas condições determinantes da criação de Palmas, de um lado, uma cidade resultante de uma conciliação dos pactos de poder da oligarquia agrária e, sobre outra perspectiva, uma cidade que representou o rompimento com as oligarquias a partir do momento que objetivou uma cidade com amplo mercado produtor e consumidor de serviços e produtos industrializados, diferenciando dos rumos econômicos da elite agrária para o estado.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v13i2.482

Flag Counter

Print ISSN: 1516-6481 – Eletrônica ISSN: 2179-7536