Cabeçalho da página

Campo Minado. Vidas Esfaceladas

Wilson Barp

Resumo

No presente trabalho, objetivamos discutir alguns elementos do fenômenoda violência na Amazônia, dentre eles: poder, dominação e espaço agrário.Ao situar o objeto de estudo no contexto brasileiro entendido como umespaço especial no interior da ordem nacional, estabelecer-se-á o pano defundo para ? remontando as matrizes conceituais ? discutir a natureza destaviolência.Iniciando a discussão sobre o fenômeno da violência, optamos porestabelecer, como pressuposto teórico, a concepção de alguns pensadoresclássicos da ciência política. Mostramos que o fenômeno da violência não énovo e existem várias maneiras de concebê-lo. Ademais, ao introduzirmos nareflexão autores contemporâneos com diferenciadas abordagens, constatamosque geralmente a violência acompanha a dominação e o poder. Observamosque as práticas de violência transcendem as diferenças de classes sociais ouideológicas. Posteriormente, procurou-se conceituar o espaço agrário e identificaras atuações dos diferentes agentes sociais no caso da Amazônia brasileira.Passo seguinte, tentamos conciliar os métodos quantitativo e qualitativonas análises. Relaciona-se o desmatamento às diferentes formas de violênciana Região Amazônica. Constata-se que os Estados que sofreram as maioresagressões contra a floresta ? pela ordem, Pará e Rondônia ? foram responsáveistambém pelos maiores massacres, na mesma ordem. Assim, detalhamosos fatos que envolveram o massacre de Corumbiara-RO e de Eldorado dosCarajás-PA e as alternativas encontradas pelas vítimas que sobreviveram achacinas na busca pela terra na fronteira. Finalmente, analisamos as tendênciasda violência no contexto da Amazônia 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v1i2.11

Flag Counter

Print ISSN: 1516-6481 – Eletrônica ISSN: 2179-7536